Vai, vai vai vento…
Leva cada elemento para o seu lugar,
Alegra os pássaros, faz dançar as belas árvores
Leva para longe toda nossa tristeza, angústias e inquietações…
Alegra nossos corações!

O mês de agosto é marcado pelos ventos fortes do inverno. Em nossa escola buscamos organizar nossas atividades em comunhão com o ritmo da natureza que vivenciamos; assim trazemos para nosso dia-a-dia a conexão com o elemento ar.

O vento é ar em movimento, um fenômeno que ocorre entre a terra e o céu, como aquele que transita entre a matéria e o Espírito. O vento é também morte e renascimento, o eterno ciclo das metamorfoses anímicas que ora se apresenta como uma brisa leve e refrescante, ora como um semeador carregando as sementes para fecundar a terra mais adiante. As vezes o vento pode ser um tornado que muda a direção de nossa história, revirando o passado ou o presente e deixando uma árdua tarefa de reconstrução para o futuro. Outras vezes, nos leva delicadamente em direção ao nosso destino.

Seja como for que o vento nos toque, essa época nos traz a possibilidade de abrirmos as janelas e deixarmos o vento passar, levando consigo tudo o que não serve mais. Esta época do ano nos acorda para o trabalho da auto-educação, nos lembra que é sempre possível ressignificarmos cada situação e encontrarmos o sopro divino que possibilita o acordar da alma, o encontro com o Eu que habita em nós.

wind-streamers-2

Podemos vivenciar a época do vento com nossas crianças através de uma série de brincadeiras, desde correr ao vento de braços abertos, até soltar pipas, brincar com barangandã, bolhas de sabão, cataventos, ou até mesmo somente observar as folhas secas sendo sopradas dos galhos das árvores.

O mais importante é que o vento que nos permeia, seja ele suave ou forte, possa vivificar o nosso propósito, para que possamos caminhar neste segundo semestre com força renovada, para cumprir mais um ciclo em nossa biografia!

Texto preparado por Stephanie de Freitas Espíndola,
professora auxiliar no Jardim das Amoras

Época do Vento