Não é o último dia de aula, nem final de ano, mas hoje acordei com muita vontade de expressar os sentimentos do meu coração pela Escola Waldorf Jardim das Amoras!
Muitas pessoas me perguntam: “Nossa, sua filha já tem 6 anos e não sabe ler nem escrever?”
E eu respondo: Não! Ainda bem que ela tem 6 anos e não sabe ler e escrever.
Minha filha não sabe ler nem escrever, mas ela sabe subir em árvores, abraçar amigos, sabe a importância de ajudar em casa nas tarefas diárias e o faz com amor e devoção, ela sabe esperar quando é preciso, sabe dividir seus brinquedos com qualquer criança, pois não é apegada à matéria. Alice sabe relacionar-se com o outro, e está aprendendo a relacionar-se com ela. Ela sabe dizer obrigada, por favor e com licença.
Ela sabe o poder curativo que tem um “pó de fada”, ela sabe expressar-se através de desenhos, modelagens, teatros, músicas.
Pelos motivos citados acima e por muitos outros, eu quero deixar registrada minha gratidão pelo Jardim das Amoras e a todos que fazem parte dessa jornada da minha Alice.
Obrigada Jardim das Amoras, por cada vez que minha filha chegou em casa com a cabeça cheia de areia. Obrigada Jardim das Amoras, por cada vez que ela chegou com o sapato cheio de barro. Obrigada por cada vez que ela chegou em casa me dizendo que tomou chá de pó de fada. Obrigada por cada vez que vocês NÃO mandaram para casa um presente do dia das crianças, por cada vez que Alice acordou domingo querendo ir pra escola!
Ao Edigar Lutero Alves por sempre tentar nos ajudar em questões burocráticas, à Isadora Siqueira Villar pela paciência no portão comigo, sempre às 11h. Simone, que me ajudou na luta para que Alice permanecesse, à todas as professoras que passaram pelo nosso caminho….Leonora Ghirello que esteve com a Bebrinha no início e no fim, Carol Serra, que é um modelo de professora para mim, seu José (José primeiro e José segundo, como diz a Alice…), Cida e Marli, e para não correr o risco de esquecer ninguém, termino sem citar todos os nomes pois são muitos! Cada um nos ajudou a construir uma história de amor e luz para Alice Harumi!
E todos juntos, nos ajudaram, à mim e ao Conrad Fujiwara, mostrar para a Alice, nesses 7 anos (a serem completados), que o MUNDO É BOM!
Por ela acreditar nisso, acredito que parte de nossa missão está cumprida!
Toda gratidão do meu coração à cada um de vocês!

Tatiana
(mãe de Alice Harumi)

Minhas duas filhas menores passaram por essa escola, elas aprenderam muitas coisas bacanas, ensinamentos que se estenderam para nossa casa e nosso dia-a-dia. Um exemplo de jardim Waldorf inclusive entre outras escolas Waldorf.

Patrício
pai de Helena e Laura

Última festa do Noah no Jardim das Amoras.
Olho para ele e vejo um menino “comprido”, já sem dentinho, cheio de perguntas e afirmativas… Está pronto para o Ensino Fundamental….
Fecho os olhos e lembro sua caminhada tão bonita por este Jardim!
Tudo começou no Amorinhas. A primeira Fadinha que o recebeu foi a Andressa. Trouxe alegria e vida para todas as suas manhãs. Chegava em casa cantarolando e saltitando como essa Fada tão especial!
Seus pezinhos cresceram e os levaram para o Jardim 1. Lá encontrou outra Fadinha, A Carol Meirelles, tão doce e cheia de amor, com mãozinhas que deixam beleza onde tocam. Chegava em casa querendo fazer arte com as lãs daqui, com o giz, com os pincéis….
Mais um ano se passou e lá foi ele encontrar outra Carol, a querida Carolzinha. Uma fadinha tão cheia de energia! Tão meiga e tão “moleca”… Chegava em casa com aviõezinhos, contando das travessuras de Circo, se dependurando nas árvores…
Seus pezinhos cresceram de novo e agora o levaram a encontrar a Fadinha Mirela, tão cheia de vida, força e luz! Agora trazia para casa a força de Micael e a barriguinha sempre cheia dos pãezinhos saborosos dessa Fadinha!
Além dessas Fadas existiram encontros muito significativos com professores auxiliares maravilhosos que fizeram parte desse caminho: a “artista” Paulinha, o “companheiro” Bruno, Talita, Elisa, Ricardo, Miriam, Érica…Que trouxeram um pouco deles para as crianças…
Encontros diários com o Sr. José que trouxe tanto colorido para as manhãs destes pequenos! Com a Dona Cida, que sempre os presenteava com uma pedrinha preciosa cheia de carinho! Com a querida Isadora sempre tão cheia de presença!
Encontros com a Si e Edigar, idealizadores, realizadores e cuidadores diários e cheios de amor deste Jardim tão especial!
Como foram únicos os anos vividos neste Jardim!!!! Tudo o que o Noah e seus colegas viveram ficará para sempre!
Tudo o que cada uma dessas individualidades lhes trouxe será devolvido para o Mundo: Amor, Alegria, Vida, Beleza, Energia, Força, Presença, Idealização, Realização, Zelo…
Obrigada por tudo! Obrigada a cada um deste Jardim tão Encantado!

Luciana e Matheus
pais de Noah e Cauã

Numa dessas noites, antes de dormir, eu escutava o Caio cantando uma das músicas que aprendeu com vocês. Antes de colocá-lo na cama eu perguntei:
Filho, você é feliz na sua escola?
E ele me respondeu: Não, mamãe… Eu sou amado.
Ah! Jardim das Amoras, um lugar tão especial e querido. Pessoas lindas.
Sou grata por cuidarem tão bem do meu menino.
Ele ama vocês.

Luísa
mãe de Caio

Hoje um ciclo importantíssimo encerrou em nossas vidas. Foi o último dia da Catherine no Jardim. Ano que vem ela estará no primeiro ano.
Só tenho a agradecer a escola que acolheu ela com tanto carinho, aos professores que receberam de braços abertos, as auxiliares, aos funcionários Isa, Seu José e Dona Cida.
Quando chegamos em Campinas visitamos algumas escolas, mas foi na pedagogia Waldorf que nosso coração bateu mais forte. Uma pedagogia linda, cheia de riquezas, onde até 6 anos alfabetização é o que menos importa, e onde o que mais importa é o correr, pular, subir em árvores, se sujar, comer frutas do pé, comer o lanche feito pelos professores na hora, acreditar em Saci, procurar tesouros pelo parque, aprender a cuidar das formigas, besouros, etc….
Foi isso que tocou nosso coração quando escolhemos o Jardim das Amoras para ser a escola dos nossos filhos, e digo que nunca acertei tanto com eles como essa escolha.
Obrigada por mais essa etapa vencida na vida da nossa princesa….

Raquel e Keyson
pais de Benjamin e Catherine

E então, num piscar de olhos, 5 anos se passaram. E hoje é o último dia de uma etapa tão linda que ele viveu por aqui. Muito obrigada a todos vocês, queridos professores, funcionários, Simone e Edigar por receberem meu filho da maneira mais acolhedora que poderia existir.
Obrigada por todos os banhos de esguicho, por todas as pedrinhas, folhinhas e sementinhas que ele trouxe como tesouros para casa.
Obrigada por todo o contato com a natureza, pelas subidas (e também pelas quedas!) nas árvores.
Obrigada pelo cheirinho da terra molhada, pelos banhos de chuva e pelos banhos de lama.
Obrigada por todas as fadinhas, duendes e sacis que eles tanto procuraram no jardim (e encontraram!).
Obrigada por todas as roupas sujas que ficaram eternamente manchadas de brincadeiras felizes.
Obrigada pelo cheirinho do lanche sendo preparado com tanto carinho pelas queridas professoras, sempre com a ajuda das crianças.
Obrigada por deixá-lo brincar de boneca ou qualquer coisa que ele quisesse sem dizer que isso é coisa de menina. Pelo contrário! Isso ensina muito mais valores para os nossos filhos, a serem mais sensíveis, carinhosos, atenciosos.
Obrigada por todas as festas da lanterna, primavera e de Natal.
Obrigada por todas as aulas incríveis de circo!!!
Mas principalmente MUITO OBRIGADA por não terem ensinado inglês, informática, nem sequer uma letra ou um número para o meu filho. Era exatamente isso o que eu queria quando o coloquei nessa escola.
Obrigada por deixá-lo brincar, somente brincar, todos esses anos.
Obrigada pela anamnese da Claudia, que me perguntou até como foi o meu parto e o quanto desejada foi essa criança.
Obrigada por me apresentar à Pedagogia Waldorf e à Antroposofia, que me levou até em busca de uma nova maneira de nascer, de vir ao mundo e fazer diferente com o meu segundo filho.
Obrigada pelas pernas de pau, paninhos que viraram capas de super-heróis, toquinhos de madeira que viraram carrinhos e outras tantas mil coisas! E por todas as folhas, pedrinhas e sementes que viraram poções mágicas.
Obrigada pelos pés descalços e por tantas vezes que fui buscá-lo e ele vestia somente uma bermudinha.
Obrigada por todas essas experiências incríveis e maravilhosas durante todos esses anos.
Obrigada pelas árvores, flores e frutos, pela terra e pela alimentação natural. Obrigada pelos brinquedos de pano e de madeira.
Obrigada por todas as músicas, por tantos cantos lindos, por tantas histórias contadas de uma maneira tão especial.
Obrigada a todos os pais, que se tornaram amigos.
Obrigada por tão doce lembrança, que todos nós levaremos para sempre em nossos corações.
Obrigada por não terem “salas de aula”, mas lindos “castelos”.
Obrigada pela parceria na formação de seres humanos que realmente se importam com o outro e com o nosso planeta.

Ana Paula
mãe de João Pedro e de Cecília

A melhor opção que como mãe poderia dar a minha filha, ela tem acolhimento emocional e psicológico, pode ser uma criança respeitada, humanizada, lúdica e criativa. Amo Waldorf!

Talita
mãe de Isabella