“Quando é noite de dezembro, noite de amor e carinho,
As estrelas lá do céu, vão tecendo um caminho!
Nessa estrada luminosa, vem vindo São Nicolau!
Trazendo pras criancinhas, biscoitos feitos de mel!”

“Sim, ele vem lá do céu, montado em um cavalo alado branco, de patas bem peludas! No caminho, a poeira das estrelas gruda em suas patas! E quando seus cascos tocam o chão da Terra, deixam um lindo rastro brilhante!

Isso acontece apenas no dia 6 de dezembro, quando São Nicolau traz algo muito especial às crianças. No entanto, ao longo do ano todo, encontramos uma ou outra estrelinha perdida em meio a areia de nosso parque…. De certo são os dois, sobrevoando por aqui, para que Nicolau possa nos observar e anotar tudo em seu grande livro dourado!

Ele tem um livro bem grande mesmo, que contém uma página para cada ser humano que vive na Terra! Nicolau anota tudinho: o que fazemos, e também o que deixamos de fazer! E para cumprir sua tarefa, possui duas canetas: uma com tinta preta e outra com tinta dourada! Com a caneta preta escreve sobre as coisas ruins que fizemos, e com a dourada, escreve sobre as nossas boas ações…

Então, quando chega dezembro, Nicolau olha para as folhas de seu grande livro, uma por uma! Se aquela página com seu nome estiver mais dourada do que preta, certamente você receberá, no dia 6, deliciosos presentes: nozes para todos os seus bons pensamentos, pão de mel para seus bons sentimentos, e maçã para os bons atos que realizou naquele ano!

E se sua página estiver mais preta que dourada? O que poderá chegar?? Carvão? Pimenta?

Geralmente ele manda junto um bilhete, parabenizando o que fizemos de mais especial no ano, e também apontando aquilo que realmente devemos melhorar…”

 (Uma das histórias contadas às nossas crianças que representa o significado de São Nicolau)

Bom, chegado o dia, ou melhor, chegada a semana, já estamos todos preparados e com os corações emocionados pela visita iminente!

A magia já começa a acontecer com o preparo do pão de mel, que perfuma a escola inteira: “de onde vem esse aroma doce que faz salivar? Será que vem do vizinho?” 

E diante da linda e doce inocência das crianças, professoras passam por todo lado com formas de bolo cobertas por panos de prato, rumo às geladeiras, mas ninguém questiona o movimento, pois afinal estamos sempre ocupadas com coisas de cozinha mesmo! Assim, com muito cuidado e amor, tudo vai veladamente sendo organizado, diante de olhinhos brilhantes e ansiosos!

Não pode faltar, perfeitamente arrumados pelas crianças na porta dos castelos, uma tigelinha com água e outra com grama e cenouras, para que seu cavalo branco, que trabalha tanto nesse dia, faça um lanchinho e mate sua sede!

A equipe inteira da escola participa do tão esperado momento, pois o cavalo precisa passar simultaneamente nas três salas, trotando em frente a cada porta! E não pode esquecer de derrubar um pouquinho da água deixada pra ele, e nem de dar uma boa dentada nas cenouras! E claro, é preciso espalhar por todo o caminho seu rastro de poeira estelar! Nicolau tem que bater 3 vezes nas portas e deixar sua cesta impecável, com o número certinho de saquinhos cheios de delícias para cada criança! Melhor esse Nicolau estar realmente envolto em um manto azul, vai que alguém consegue espiar pela janela!

Ufa! Super produção pra magia acontecer! Um dia tenso, nada pode dar errado, um deslize e o encanto se quebra!

E sim, chegou a hora!!! Quanta emoção, que frio na barriga!!!!

O que será que receberei, pão de mel ou carvão? Será que desta vez conseguirei ver ao menos uma pontinha do manto azul de Nicolau?”

Portas e cortinas fechadas, no escurinho do castelo, à luz de velas, escutando um conto sobre os feitos do Bispo Nicolau enquanto ainda vivia na Terra…. A qualquer momento, o casco do lindo cavalo branco irá tocar o chão! Seu trote é inconfundível!!! Em seguida Nicolau baterá três vezes à porta!!! E …. finalmente acontece!!!

Alguns gritam, outros ficam imóveis, em absoluto silêncio! Uns correm o mais rápido que podem até a janela, a fim de abrir a cortina e ver aquilo que já tinham visto antes, de olhos bem fechados, escutando as histórias!!! Que emoção seria se deparar com a pontinha do rabo do cavalo batendo no vidro da janela…!

De fato, tem gente que vê um manto azul passando, mas a maioria guarda a esperança de que no ano vem Nicolau e seu cavalo não escapam: “faltou só um pouquinho, corro mais rápido até a janela da próxima vez!!!!”

Ah, o rastro de pó das estrelas!!! “Meu Deus, eu posso pegar um pouco e levar pra casa!!!”

 “Ufa, ganhei pão de mel!!! Ainda bem! Já tinha planejado dar o carvão pro churrasco do meu pai, e a pimenta pra minha mãe, porque ela gosta de pimenta! Mas não será preciso! Seguirei bem firme pela estrada do bom caminho, ouvirei esse conselho, para que no ano que vem não corra tanto risco de não ganhar o pão de mel!”

“Bem que o Nicolau poderia voltar amanhã, ou voltar todos os dias, assim aumenta a chance de eu finalmente conseguir vê-lo!” 

“Sim, por que esse foi o melhor dia da vida!!!!”

E neste dia viramos crianças de novo! Todos juntos vivenciamos o mistério, o encanto, a espera, a surpresa que vem do céu, trazendo uma doce mensagem sobre como andamos neste ano, e de quantos polimentos ainda precisamos dar em nossa estrela, para que ela possa brilhar cada vez mais e mais!

Sem dúvida, todo o esforço é recompensado por cada coração que minimamente foi tocado, inclusive o nosso, que aproveita desse momento encantado para também refletir, de forma mais consciente, o significado de São Nicolau em nós…

Nós adultos possuímos a capacidade de analisar o que fizemos de bom e de ruim. Já a criança ainda não desenvolveu essa habilidade. Com a ajuda de Nicolau, ela pode passar a compreender que as ações em liberdade do ser humano estão intimamente ligadas à justiça objetiva. Vivenciando anualmente esta realidade, de forma emocional, a criança tem um aprendizado mais eficaz que o conseguido com uma bronca ou castigo.

Precisamos ter em mente que nessa autoanálise não se pode deixar aparecer a culpa pelos atos errados, que só bloqueia o desenvolvimento pessoal. Basta reconhecer os erros, perceber o que os motivou, para se ter a certeza de que não serão repetidos.

Assim, a figura de São Nicolau simboliza a capacidade para avaliar o que ficou para trás, representa a justiça concreta. Ao proporcionarmos tal vivência na escola, oferecemos à criança uma oportunidade de realização dessa autoavaliação, de maneira coerente com a idade, com calor no coração, aconchego na alma e muito encantamento!

Com carinho, Prof. Ana Carolina Meirelles 

 

Referência bibliográfica: Scheven, Evelyn, “O caminho do Cristo

São Nicolau